Publicado em: 03/05/2019

O treinador ganhou espaço e respeito no futebol nos últimos anos e vem sendo uma figura de destaque em muitos clubes e seleções. A sua exposição na mídia explica-se pelo fato do público e dos críticos terem interesse no seu trabalho, uma vez que ele coordena as ações do seu time e analisa os pontos fortes e fracos das outras equipes na tentativa de obter os melhores resultados, extraindo o máximo potencial dos seus jogadores.

Além disso, a cobrança de resultados advinda dos torcedores, da imprensa e dos dirigentes faz com que esse profissional procure cada vez mais desenvolver diferentes habilidades e prover conhecimentos que o auxilie a atuar de forma mais competente e eficaz. O desempenho de alto nível exige, além do conhecimento técnico-tático, o domínio de outras dimensões do treinamento esportivo, tais como os aspectos psicológicos e/ou mentais (BESWICK, 2001; ORLICK, 2000), e no caso do futebol, os aspectos de relacionamento social (SIMÕES; RODRIGUES; CARVALHO, 1998; LYLE, 2002), que influenciam diretamente os resultados da equipe.

Segundo Horn (1992) e Smith e Smoll (2005) as investigações sobre a liderança no esporte têm se desenvolvido a partir do pressuposto que o comportamento do Treinador/Líder tem um impacto relevante, de natureza negativa ou positiva, na produção do atleta e/ou no seu bem-estar psicológico. Sendo assim, a possibilidade do treinador intervir pontualmente durante o intervalo e/ou no decorrer de uma partida demanda uma forte relação de confiança junto ao atleta, o que pode se apresentar como um dos fatores determinantes para o sucesso (SAMULSKI; NOCE; PUSSIELDI, 1998).

Buscando compreender as formas de manifestação da liderança do treinador de futebol por meio do Modelo Multidimensional de Liderança proposto por Chelladurai e Saleh (1978) e da Escala de Liderança Revisada para o Esporte (ELRE) proposta por Zhang; Jensen e Mann, (1997), objetivou: identificar os fatores provenientes dos perfis de liderança real e ideal dos treinadores de futebol e verificar a existência de diferenças na autopercepção do treinador em relação aos estilos de liderança real e ideal.

 

A Liderança do Treinador de Futebol